Educação

Apesar da suspensão das aulas presenciais em algumas salas, a retomada tem sido tranquila, diz o secretário



Apesar da suspensão das aulas presenciais em algumas salas, a retomada tem sido tranquila, diz o secretário

No início desta semana foi anunciado o a suspensão das aulas na Cemei Dayse L. Malavazzi que estava prevista para segunda-feira, 16, e precisou ser adiada devido o registro de dois casos de Covid-19 entre os profissionais da unidade escolar. Na quarta-feira, 18, mais quatro salas de aula precisaram ter suas aulas suspensas também por casos de coronavírus, sendo duas na EMEF Koei Arakaki e duas na EMEI Maria Simão.
O secretário da educação Carlos Cabral disse que casos pontuais podem ocorrer, como esses que aconteceram. “Estamos juntamente com a Secretaria Municipal de Saúde, monitorando as escolas e as salas de aulas. Nesse monitoramento identificamos a necessidade de suspender o retorno da escola Dayse Malavazzi, aulas que ainda não tinham começado, e suspender as atividades em algumas salas de aulas da Koei e Maria Simão. Em alguns casos justamente por precaução”, explica.
Mesmo com esses casos pontuais, Cabral conta que o retorno das aulas tem sido tranquilo. “Em Fernandópolis tivemos um retorno tranquilo, inclusive superando as nossas expectativas. Percebemos nesses primeiros dias uma cooperação mútua entre os profissionais de educação, os alunos e principalmente os pais. Nas avaliações de retorno que fizemos, os professores nos relataram que os alunos estão muito conscientes com relação ao uso de máscaras, do respeito ao distanciamento e a higienização das mãos”, completa.
Sobre a retomada das aulas nessas unidades escolares, Cabral disse que cada escola ou sala de aula será verificada individualmente, atendendo sempre a recomendação dos protocolos oficiais.
REDE ESTADUAL
Na rede estadual de ensino em Fernandópolis, que teve suas aulas presenciais retomadas no dia 02 de agosto, houve apenas uma sala que precisou ter suas aulas suspensas. 
De acordo com o dirigente de ensino, Cândido José dos Santos, trata-se de uma sala da EJA – Educação de Jovens e Adultos, que funciona no período noturno na escola Joaquim Antônio Pereira - JAP – que teve uma aluna a qual testou positivo após frequentar as aulas por dois dias. 
“A vigilância foi informada para tomar as medidas necessárias e as aulas foram suspensas por uma semana. Nas demais escolas não houve nenhum outro caso”, afirma Cândido.