Geral

Após impugnações, DER adia concorrência dos radares na Euclides da Cunha



Após impugnações, DER adia concorrência dos radares na Euclides da Cunha

A concorrência para instalação de radares em rodovias paulistas operadas pelo DER – Departamento de Estradas de Rodagem – com abertura das propostas prevista para a última quinta-feira, 14, foi adiada sem nova data marcada. 
A justificativa veio através de nota ao CIDADÃO: “O DER recebeu um pedido de impugnação do processo licitatório. O DER agora trabalha para responder os questionamentos e, posteriormente, marcar uma nova data para abertura dos envelopes”. Empresas apresentaram contestações no Tribunal de Contas do Estado. Não há previsão para nova data.
A concorrência, dividida em 13 lotes, destinava-se a contratação de empresas para fornecimento, instalação e manutenção de equipamentos de fiscalização eletrônica de excesso de velocidade com imagem do veículo, monitoramento do tráfego e relatório estatístico de tráfego (radares fixos), com previsão de investimento de R$ 326 milhões. No total o edital previa a instalação de 207 radares fixos, 48 redutores de velocidade e 9 painéis de informações eletrônicas em rodovias operadas pelo DER no Estado. 
Conforme o edital suspenso, a região estava contemplada no lote 9 da concorrência, com previsão de instalação de radares em 13 rodovias, a maior parte deles, na SP 320, a Rodovia Euclides da Cunha, em trechos nos municípios de Tanabi, Votuporanga, Fernandópolis, Jales e Santa Fé do Sul. 
Em Fernandópolis, os radares devem ser instalados em dois trechos: KM 551+650 embaixo do viaduto Dr. José Affonso Albuquerque (Avenida Expedicionários) para fiscalização das pistas leste (sentido Rio Preto) e oeste (sentido Jales) e KM 556+900 (viaduto Horácio Beata) com fiscalização na pista leste. 
O edital também previa radares nas rodovias Percy Waldir Semeghini (SP 543) e outro na Jarbas de Morais (SP 561), no trecho inicial em Fernandópolis e Jales, respectivamente.
Os primeiros radares foram instalados na rodovia Euclides da Cunha em 2014 e funcionaram até janeiro deste ano, quando foram retirados por conta do vencimento do contrato com a empresa que operava o sistema. Durante o período em que os radares estavam em operação, flagravam em média 50 mil motoristas por ano em excesso de velocidade. Sem os equipamentos fixos, a fiscalização é feita pela Polícia Rodoviária Estadual com radares móveis.
Com o adiamento da concorrência, a reinstalação dos radares na Euclides da Cunha deve só ocorrer em meados do ano que vem.

RODOVIA PERCY SEMEGHINI
A concorrência para recuperação da Rodovia Percy Waldir Semeghini (a SP-543) de Fernandópolis à ponte de Água Vermelha em Ouroeste ainda não foi finalizada. O projeto prevê investimento de R$ 54 milhões. O DER emitiu a seguinte nota: “O DER informa que a Rodovia Percy Waldir Semeghini (SP-543) contemplada no programa Estrada Asfaltada com investimento de R$64,6 milhões, se encontra em fase de análise das propostas, com previsão de início das obras para o início do ano de 2022”.