Artigos

Artigo - Todos os anos no mês de outubro vemos tudo se tingir de tons rosados, mas o que de fato significa o Outubro Rosa?



Artigo - Todos os anos no mês de outubro vemos tudo se tingir de tons rosados, mas o que de fato significa o Outubro Rosa?

  Por Dra. Karoline Ilidio*

O Outubro Rosa faz parte de um movimento internacional para conscientização sobre o câncer de mama, seu objetivo é reduzir a mortalidade por meio da prevenção, diagnóstico precoce e tratamento adequados, com foco na importância das medidas de prevenção primária, ou seja, ações de saúde com intuito de evitar que a doença se instale.

Essas medidas diminuem o risco de uma pessoa desenvolver câncer de mama e outros tipos de câncer, dentre elas se enquadram: adoção de hábitos de vida saudáveis, manutenção do peso adequado (evitar e tratar a obesidade e sobrepeso) alimentação o mais natural possível, redução do consumo de industrializados, prática regular de atividade física, limitação do consumo de álcool, cessação do tabagismo e amamentação.

Quais são os fatores de risco para se desenvolver um câncer?

O câncer se desenvolve em uma pessoa a partir de uma mutação genética, e esta mutação pode acontecer por 2 motivos: ambiental (causas relacionadas ao estilo de vida como obesidade, consumo excessivo de álcool, tabagismo, alimentação derivada de produtos industrializados, sedentarismo e o envelhecimento). O segundo motivo e que acontece em menor frequência, são as mutações genéticas hereditárias, que herdamos no nosso DNA dos nossos antepassados.

O câncer de mama é uma doença heterogênea, tem potencial para atingir mulheres de todas as idades e também homens (em menor incidência), o diagnóstico deve ser individualizado, e o tratamento muda bastante a depender dos fatores inerentes de cada tipo de tumor, idade da paciente e estágio da doença, haja vista que os tumores possuem os mais diversos fenótipos, ou seja apesar de possuir o mesmo nome, o câncer de mama pode assumir diversos subtipos tornando o seu tratamento diferente para cada pessoa.

Infelizmente no Brasil, nós temos altas taxas de detecção do câncer de mama em estágios avançados, muitas vezes com tumores muito grandes na mama ou mesmo com metástases, que é quando o tumor se espalha pelo corpo, ou seja, a doença é diagnosticada em estádios em que o tratamento não é tão efetivo quanto se fosse diagnosticado no início, e por este motivo, a mortalidade é tão alta. Quando o câncer de mama é diagnosticado precocemente, a taxa de cura pode chegar próximo de 100%, com um tratamento menos agressivo e traumático para a mulher, já que os prejuízos estéticos e efeitos colaterais podem ser minimizados.

Atualmente contamos com um arsenal para diagnóstico precoce do câncer de mama ou de lesões pré-malignas através do rastreamento. Segundo as principais sociedades médicas, em especial a Sociedade Brasileira de Mastologia, é recomendado que todas as mulheres acima de 25 anos passem em consulta médica especializada anualmente para determinação do risco de desenvolver um câncer de mama futuro, além de elaboração de um plano de rastreamento conforme o risco individual, também é recomendado que todas as mulheres acima de 40 anos além da consulta anual para aconselhamento e exame físico, sejam submetidas ao exame de mamografia, que é o exame mais importante para o rastreamento do câncer de mama nas suas formas iniciais, atenção especial também deve ser dada para pessoas que possuem algum parente de primeiro grau com câncer de mama, o risco individual deve ser avaliado na consulta de rotina. Vale ressaltar que o auto-exame, tão difundido nas mídias sociais e campanhas de saúde, apesar de importante para o autoconhecimento corporal, não substitui o exame clínico e nem a mamografia, infelizmente, não é possível assegurar apenas pelo auto-exame que a mulher não possua alguma lesão maligna ou precursora do câncer. Precisamos desmistificar o câncer e falar mais sobre o assunto, pois conhecimento é poder. Este mês é um excelente momento para que você mulher, que ainda não passou em uma consulta de prevenção, procure um mastologista, faça seu exame de rastreio.

Se você conhece alguma mulher de sua família que tem medo de falar sobre o assunto, ou medo de ir ao médico fazer o rastreio do câncer, aconselhe e oriente sobre as formas de prevenção e promoção da saúde, todos nós estamos sujeitos a adoecer e é dever de todos conscientizar sobre este grande problema de saúde pública, que pode ser minimizado. O diagnóstico precoce salva-vidas!

Dra. Karoline Ilidio é Médica cirurgiã, Mastologista e Especialista em tumores ginecológicos.