Política

Câmara aprova quase R$ 1 milhão para desassorear represa Beira Rio



Câmara aprova quase R$ 1 milhão para desassorear represa Beira Rio

A Câmara Municipal de Fernandópolis aprovou na noite desta terça-feira, 11, um projeto de autoria do poder Executivo que destina R$ 947 mil para o desassoreamento da represa Beira Rio. Todo o recurso para execução dessa obra vem do Fundo Municipal do Meio Ambiente, que recebeu recursos de multas ambientais aplicadas pelo Ministério Público.

A iniciativa já tinha sido antecipada por CIDADÃO. Em entrevista concedida no último dia 24 ao jornal, o secretário municipal de Meio Ambiente Luiz Sérgio Vanzela afirmou que não é   o momento de procurar culpados, mas sim de evitar que a represa morra.

  “É uma tristeza verificar a que ponto chegou a represa municipal. Não tem como culpar alguém por conta dos loteamentos que estão a montante, são projetos antigos, da década de 70, onde as exigências de engenharia eram outras”, disse. Com esses loteamentos, sedimentos vieram parar na represa.                  

Na década de 70, quando foi construída, a represa municipal, que chegou a ser utilizada para abastecer a cidade, ocupava uma área de 50 mil metros quadrados. Hoje, após anos recebendo sedimentos por conta da expansão urbana, a lâmina d´água ocupa área de apenas 16 mil metros quadrados. Virou uma poça d´água.

Mas, há luz no horizonte e um projeto orçado em R$ 800 mil para recuperar a velha represa. De acordo com o secretário do Meio Ambiente de Fernandópolis, Luiz Sérgio Vanzela, o projeto está na fase final para ser licitado. 

Ainda segundo o secretário, o desassoreamento será feito em duas etapas. Uma parte menor dos sedimentos - 20 mil metros cúbicos, na área alagada -, será retirada  por dragagem. A parte maior, - 40 mil metros cúbicos -, na área seca, será retirada por escavadeira.

Paralelo ao desassoreamento da represa, recuperando sua área original de 50 mil m², em parceria com a Secretaria de Obras, o Meio Ambiente tem ações para regularizar todas as dissipações de águas pluviais e projeto recuperação de todas as áreas de preservação permanente a montante com plantio de 20 mil mudas de árvores. Obras que devem estar completadas até o final do ano.