Meio Ambiente

Com El Ninho, Fernandópolis atrai 18% mais raios



Com El Ninho, Fernandópolis atrai 18% mais raios
Foto: Marco Antônio

O fenômeno El Niño não trouxe apenas ondas de calor em 2023 para Fernandópolis e região. Ele também é responsável pelo aumento de 18% na incidência de raios, segundo dados divulgados pelo Elat - Grupo de Eletricidade Atmosférica -, do INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais -, referente a 2023 que ainda não foi fechado. Falta ainda computar dados do mês de dezembro.

De janeiro a novembro de 2023, Fernandópolis registrou a incidência de 19.367 raios, 18% mais do que nos 12 meses de 2022, quando houve 16.370 registros, segundo o Elat. O percentual aumenta na comparação com ano de 2021, quando foram registrados 11.069 raios. No caso, o aumento chegou a 74%

O ano nem bem começou e, dados do Elat, Fernandópolis já registrou nos primeiros 20 dias de janeiro 1.855 raios.

O raio é interpretado por especialistas como toda descarga elétrica que atinge o solo. Já as que não atingem e provocam um clarão no céu são popularmente conhecidas como relâmpagos.

Quando atingem o solo, as descargas elétricas causam danos. Os mais comuns são queima de aparelhos eletrodomésticos e eletrônicos em residências, danos a rede elétrica.

Podem ser mortais, como o caso de uma mulher que estava na praia no litoral paulista e foi atingida por uma descarga elétrica no último final de semana.  Corpo de Bombeiros e Defesa Civil chamam a atenção para que as pessoas dobrem os cuidados em áreas abertas como as prainhas da região, lagos, rios e até em piscinas.

No site da ELAT/INPE há  mais recomendações a serem evitadas durante uma tempestade com raios como abrigar-se ou caminhar perto de árvores; caminhar ou ficar parado em áreas descampadas, rodovias, ruas ou estradas, praias; ficar próximo a cerca de arame; ficar próximo de veículos; utilizar equipamentos elétricos ligados à rede elétrica ou ficar perto de tomadas; falar ao telefone com fio ou utilizar celular conectado ao carregador; usar chuveiro elétrico; ficar próximo a janelas e portas metálicas; ficar próximo à rede hidráulica (torneiras e canos).

O coordenador do Elat/Inpe, Osmar Pinto Júnior, em entrevista ao Diário da Região, diz que o crescimento no número de descargas elétricas tem tudo a ver com o El Niño, fenômeno que chama a atenção do mundo desde ano passado por sua força. O El Niño e seu oposto, La Niña, são partes de um mesmo fenômeno acoplado (atmosférico-oceânico) que ocorre no oceano Pacífico Equatorial. Quando as águas desse oceano estão mais quentes do que a condição média histórica (climatológica), acarretam efeitos globais nos padrões de circulação atmosférica, transporte de umidade, temperatura e precipitação.

O Brasil é campeão mundial na incidência do fenômeno. O Estado de São Paulo é o que registra maior número de vítimas por raio.

NÚMEROS

Total de raios registrados em Fernandópolis entre janeiro a novembro de 2023:

19.367

Total de raios registrados em Fernandópolis entre janeiro a dezembro de 2022

16.370

Total de raios registrados em Fernandópolis entre os dias 1º e 22 de janeiro de 2024

1.855

Fonte: Elat - Grupo de Eletricidade Atmosférica -, do INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais