Observatório

“É hora de harmonia”



Image alt

Gustavo Pinato está de volta ao Palácio 22 de Maio Prefeito Edison Rolim onde começou sua carreira política como vereador em 2013. Nos últimos quatro anos foi para o Executivo. Eleito vice-prefeito, ocupou o cargo de Secretário da Assistência Social e Cidadania onde conheceu a realidade da cidade e amadureceu como político.

Abriu mão de concorrer novamente a vice em nome de um projeto de paz política para Fernandópolis. Eleito vereador, tomou posse para o segundo mandato e na mesma sessão no dia 31 foi eleito presidente para o biênio 2021/2022 com o apoio de nove dos treze vereadores. Com discurso, onde a palavra-chave é “harmonia” para o bem da cidade ele diz que agora é hora de todos trabalharem pela cidade.

“Temos que pensar que se o prefeito vai bem a Câmara também vai bem. Se a Câmara vai bem o prefeito também vai bem. E se os dois vão bem, toda a cidade vai bem e quem ganha é a população”.

Ao analisar o vereador do primeiro mandato e o que hoje está no comando do Legislativo, Gustavo afirma: “Mudei muito”. Anuncia que quer compartilhar decisões com todos os vereadores. Apesar dos desafios pela frente, afirma: “Temos tudo para realizar um excelente trabalho tanto no Legislativo quanto no Executivo”. Veja a entrevista:

Eleito presidente, você terá pela frente uma Câmara renovada. Como pretende conduzir a relação com os vereadores, principalmente os novatos e com aqueles que não votaram em você?

Primeiramente gostaria de agradecer aos meus colegas pela condução de meu nome para representá-los nesse biênio 2021/2022. Realmente, nesse ano tivemos uma renovação grande na Câmara de Vereadores, acredito que essa renovação é benéfica para a população. É importante isso em uma democracia. Já conversei com todos eles, que se mostraram dispostos a ajudar a cidade e toda a população de Fernandópolis no que for bom para cidade e isso é a democracia. Com relação aos vereadores em primeiro mandato já me coloquei a disposição de todos eles, as portas estarão sempre abertas para ajudá-los a sanar eventuais dúvidas que surgirem.

E em relação ao Executivo? O que espera da relação, sabendo que você foi vice do prefeito reeleito André Pessuto e abriu mão do cargo em nome da união?

Sempre tive uma relação muito boa e harmônica com o prefeito André. Quando decidi concorrer como candidato a vereador, pensei na união em prol de Fernandópolis. Essa união em torno de um projeto sólido de governo, precisa ser implantada na cidade, precisamos acabar com essa disputa entre A e B. Já fui vereador, inclusive junto com o André, acredito que minha experiência nesse sentido irá ajudar a conduzir os trabalhos no Legislativo. Temos tudo para realizar um excelente trabalho tanto no Legislativo quanto no Executivo, nos comprometemos a ajudar em tudo o que for bom para o bem estar e desenvolvimento de nossa querida Fernandópolis e distrito de Brasitânia, porém é nossa obrigação fiscalizar sempre.

"Esse ano será cheio de desafios, mas iremos enfrentá-los e sairemos ainda mais fortes"

O atual mandato começa ainda sob os efeitos de uma pandemia que está aí e vamos ter conviver com ela por mais algum tempo. Será um ano de desafios?

Acredito que será desafiador para todos, estamos caminhando para chegada da vacina e com ela teremos um pouco de tranquilidade, mas no momento não sabemos quanto tempo ainda irá demorar. Fazer previsões não seria plausível no momento, devemos ter o diálogo, a pandemia não acabou, o mundo ainda está vivendo um caos total. Acho que devemos esperar um pouco mais. Esse ano será cheio de desafios, mas iremos enfrentá-los. Vamos buscar recursos para ajudar o Executivo no que for preciso. Iremos superar essa crise e sairemos ainda mais fortes.

Qual deve ser o foco em meio ao cenário atual?

Durante a campanha, fiz uma série de propostas em diversas áreas. A população aprovou me elegendo, mas agora vamos lutar para colocar tudo em prática. Conheço o que a população precisa e vou lutar pelos direitos do povo. Devemos lutar por políticas públicas voltadas ao crescimento, melhoria da cidade, para beneficiar a todos os cidadãos, notadamente aos mais carentes.

Com a pandemia, as sessões passaram a ser realizadas às 12 horas, sem público e com tempo reduzido para os vereadores na Tribuna. Vai manter o esquema?

Até fevereiro vamos dialogar com todos os vereadores, com as comissões e equipes responsáveis pelos protocolos de segurança/saúde. E decidiremos juntos, vereadores e equipe técnica qual será a melhor medida a ser adotada.

Na última eleição, oito dos 12 vereadores que disputaram reeleição não conseguiram renovar mandato. Na sua opinião, qual foi o recado da população nas urnas?

O recado foi renovação.

A reeleição inédita de Pessuto coloca mais responsabilidade para o Executivo e Legislativo nesta nova gestão?

Precisamos pensar que, para haver uma reeleição é preciso muito trabalho e responsabilidade. Junto com o André fizemos uma excelente administração, e, por isso foi historicamente o primeiro prefeito reeleito. No tocante a responsabilidade, acredito sim, que aumenta pois é uma situação inédita na política local.

"A reeleição aumentou sim a nossa responsabilidade, pois é uma situação inédita na política local"

O legislativo sempre enfrenta temas polêmicos que geram desgastes. É o caso, por exemplo, do recesso legislativo de julho. Tem posição formada sobre essa questão?

Sobre o recesso de julho não tenho uma opinião ainda formada, pois não é menos verdade que mesmo em recesso a Câmara nunca se negou em imediatamente atender os prefeitos e realizar sessões extraordinárias. Porém, com outras polêmicas como é o caso do horário do expediente da Câmara que foi alterado e hoje no papel é das 13 às 19 horas, digo que não concordo. (Atualmente devido a pandemia acompanha o horário de funcionamento da Prefeitura - 8 às 13 horas). Como vivemos em um país democrático e, ainda por estar como atual presidente da Câmara, não sou obrigado a concordar. Porém tenho sempre que respeitar a decisão da maioria, mesmo que contrarie a minha.

Se o assunto for proposto no plenário, como pretende conduzir?

Como você mesmo disse é um assunto polêmico, acredito que devemos ter a responsabilidade de ter um debate amplo, para que assim possamos tomar uma decisão que seja bastante discutida e que não deixe dúvidas.

"Irei trabalhar muito, para que a população esteja bem representada na Câmara de vereadores"

Acha que será mais cobrado como presidente do Legislativo por ser irmão do deputado Fausto Pinato?

Não. Pois, o papel do Legislativo é, de um modo geral, fiscalizar o Executivo. O deputado Federal Fausto Pinato tem um papel importante em nossa cidade no tocante a liberação de recursos e destinação de emendas parlamentares o que certamente continuará fazendo e com apoio, senão de todos, da maioria dos vereadores.

O que a população pode esperar do presidente da Câmara Gustavo Pinato nestes dois próximos anos?

A minha responsabilidade agora não é somente com aqueles que votaram em mim, minha responsabilidade, meu trabalho e meu compromisso é com a população de Fernandópolis. Posso afirmar que irei trabalhar muito, para que a população esteja bem representada na câmara de vereadores e trabalhar pela harmonia entre os vereadores para o bem do povo, para o bem da cidade, do desenvolvimento. Se o prefeito vai bem, a Câmara vai bem. Se a Câmara vai bem, o prefeito vai bem. Se os dois vão bem, a cidade vai bem e quem ganha é a população.