Geral

Fernandópolis busca R$ 3 milhões para dar fim a cratera da Cohab Antonio Brandini



Fernandópolis busca R$ 3 milhões para dar fim a cratera da Cohab Antonio Brandini

O acidente registrado na tarde do último domingo, 6, não foi o primeiro a ser presenciado pelos moradores da Cohab Antonio Brandini, zona norte da cidade. O carro que descia a Rua Valdevino de Faria foi parar dentro da cratera. O motorista saiu ferido com algumas costelas e joelho fraturados.
O problema é antigo no bairro.

O morador Wilson Lopes Bonfim, conhecido como Baiano do Bazar, mora vizinho à cratera há 40 anos e diz que já presenciou muitos acidentes. “Já caiu ônibus da circular, caminhão e até ciclista”, lembra. A rua citada possui acentuado declive e termina exatamente na “cratera mortal”.
O acidente fatal no local foi com um ciclista de 28 anos e ocorreu em fevereiro de 2019. Antes, em junho de 2017, um micro-ônibus da empresa Jauense, responsável pelo transporte coletivo em Fernandópolis, despencou na ribanceira. O motorista e dois passageiros ficaram levemente feridos.
A prefeitura já fez a maior parte da galeria no chamado fundo de vale da Cohab Antonio Brandini, desde a rua Paulino Maximino Duran, passando pela Escola Municipal Pedro Malavazzi, mas faltam ainda cerca de 400 metros de galeria até desembocar na galeria no Trevão de Água Vermelha.
Em nota, a prefeitura informou “que existe um projeto para a conclusão da obra que foi orçada em R$ 3 milhões. O município vem buscando alternativas de recursos para o término desta obra”. Como medida paliativa, despejou terra no local para servir de anteparo para conter veículos desgovernados e evitar novas quedas no buracão.
Baiano disse ainda em entrevista à Rádio Difusora que não acredita que o problema será resolvido ainda nesta administração do prefeito André Pessuto. “É uma obra muito cara. Ouço falar disso há muito tempo. A única coisa que acontece é que o buracão está aumentando e já já vai engolir a rua”, diz. Além dos veículos que despencaram na ribanceira, Baiano diz que os moradores enfrentam outros problemas com pernilongos e muriçocas, além do mau cheiro do esgoto que é jogado no local.
O local é reconhecido como APP – Área de Proteção Ambiental. O morador cita que o que segura um pouco o avanço da cratera são árvores que estão ali há mais de 35 anos. Na última sessão da Câmara, o vereador Everaldo Lisboa (PTB) cobrou o Executivo para buscar solução para o buracão.