Saúde

Fernandópolis completa nesta segunda, 60 dias do primeiro caso de Covid-19



Fernandópolis completa nesta segunda, 60 dias do primeiro caso de Covid-19

Panorama

A primeira notícia de fontes oficiais sobre coronavírus em Fernandópolis foi divulgada por meio de uma Nota Oficial da prefeitura, com data de 15 de março. Apesar de apresentar apenas três casos suspeitos, o cenário já não era nada otimista.

Em 19 de março, a Prefeitura de Fernandópolis divulgou o primeiro Boletim Epidemiológico. Na época, o cenário era muito incerto sobre os impactos do coronavírus na região. No dia seguinte, o prefeito André Pessuto baixou seu primeiro decreto ordenando o fechamento do comércio durante o final de semana que compreendia os dias 21 e 22, e iniciava-se assim, o isolamento social no município. Apesar da expectativa de voltar na segunda-feira, 23, com atendimento ao público permitido apenas entre as 12h e 18h, o que não ocorreu em virtude do decreto assinado pelo governador do Estado de São Paulo, João Doria, na data de 21 de março.

O Decreto que iria até o dia 5 de abril, não se aplicava a farmácias, supermercados, mercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas e centros de abastecimentos de alimentos. Já a partir de então, ficou proibido o consumo de qualquer produto no local de estabelecimentos como lojas de conveniência e padarias, lojas de venda de alimentação animal, distribuidoras de gás, lojas de venda de água mineral, postos de combustíveis. Para todos esses estabelecimentos, no entanto, estava proibido o consumo de qualquer produto no local.

Em 21 de março, Doria, decretou quarentena obrigatória para todos os 645 municípios do estado a partir da terça-feira, 24, com duração inicial prevista para 15 dias, o que acabaria em 7 de abril. O que não ocorreu. O governador renovou o decreto até 10 de maio e posteriormente, ao dia 31 do respectivo mês. Desde então, diversas medidas foram tomadas para conter o coronavírus. No entanto, mesmo com os esforços, os casos positivos dobraram em determinados períodos, tanto na esfera local como na estadual.

Dos novos casos positivos de coronavírus

Durante os primeiros 30 dias, foram registrados 11 casos positivos de coronavírus, 26 a menos do que o número registrado no decorrer dos 30 dias seguintes. Os picos de novos casos variaram entre 1 e 6, sendo que o número de infectados ficou entre 1 e 9, predominando média 4 para ambos os casos durante a maior parte do período em que foi realizado este levantamento.

Os números foram divulgados pela Prefeitura de Fernandópolis em seu Boletim Diário Coronavírus conforme as datas correspondentes. Não foram inclusos os números referentes aos pacientes que apresentaram síndromes gripais e não ocorreu registro de óbito durante o período.

Flexibilização

Os comerciantes locais pressionaram o prefeito e as entidades comerciais pela reabertura do comércio. Porém, André Pessuto se manteve firme e disse que seguiria o Decreto do governador, João Doria. Ele manteve a sua decisão mesmo durante as manifestações ocorridas em duas ocasiões durante esse período.

Apesar das restrições, o comércio de Fernandópolis está aberto parcialmente e tanto comerciantes como clientes estão sujeitos aos critérios adotados como medidas de contenção do novo coronavírus. Uso de máscara e álcool em gel 70% seguem entre os itens obrigatórios.

Para o médico infectologista Márcio Gaggini, coordenador do Comitê de Contingenciamento da Covid-19, disse que há espaço para a quarentena, mas mantém as recomendações sobre as medidas preventivas. Sobre os novos casos de Covid-19 registrados nos últimos 15 dias, Gaggini disse que tem acompanhado de perto cada diagnóstico e associa o aumento a diversos fatores.

“Nós aumentamos a nossa capacidade de diagnostico. Recebemos do Estado vários quites de teste rápido e estamos testando em algumas situações especial e o Governo do Estado ampliou mais as situações em que possamos detectar o vírus. Mas também pode ter sido provocado pelo feriado do dia das mães e pelo um pouco da abertura que a gente teve do comércio. Mas isso já era esperado, até mesmo pela curvatura que o vírus está provocando em todo o país”, disse Gaggini.

Na próxima quarta-feira, 27, Doria deverá anunciar a decisão sobre o plano de flexibilização encaminhado pelos prefeitos da região. Ainda no decorrer dessa semana, ele também deve anunciar se autoriza a reabertura do comércio ou se vai renovar o decreto que trata do isolamento social, com validade para até o próximo domingo, 31 de maio.