Geral

Fernandópolis inicia censo com menos recenseadores nas ruas



Fernandópolis inicia censo com menos recenseadores nas ruas

Vai começar o Censo 2022 do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O censo ocorre dois anos depois do previsto por conta da pandemia da Covid-19. Em Fernandópolis o trabalho de coleta de dados inicia na segunda-feira, dia 1º, com menos recenseadores nas ruas do que o previsto. 
“A princípio serão 41 recenseadores em campo. O quadro geral de vagas para Fernandópolis prevê 66 no total. O IBGE abriu concurso para preencher as 25 vagas restantes de recenseadores e as inscrições para esse concurso foram abertas na quinta-feira com recebimento de inscrições até segunda-feira”, explicou o coordenador do censo em Fernandópolis Júlio Cesar Ferreira da Silva. 
Para a realização do censo, a cidade foi dividida em mais de 200 setores. “São como se fossem peças de quebra-cabeças. O IBGE separa a malha territorial para garantir que a varredura seja mais fácil de ser executada. Cada setor costuma comportar cerca de 300 domicílios para que o recenseador não demore muito na coleta de dados”, destacou Julio. 
Durante o trabalho de visita, se o recenseador encontrar o imóvel fechado, ele retornará algumas vezes e não conseguindo encontrar o morador, deixará uma carta de aviso para que o morador entre em contato com IBGE. “Caso o morador não entre em contato, tentaremos a revisita em horários alternativos para poder garantir que a pessoa seja recenseada. Se algum morador, durante o período do censo, não receber a visita, ele poderá ligar no IBGE (3442-1045). É de fundamental que a população tome consciência sobre importância do censo e responder o questionário”, alertou. 
A princípio, segundo Júlio, o censo inicia no dia 1º de agosto com prazo de três meses para a coleta, com previsão de fechamento do trabalho em outubro.
Na zona rural, o trabalho de campo será realizado com planejamento prévio na agência por parte dos supervisores que irão orientar os trabalhos dos recenseadores. “Será de suma importância que estudem as estradas que irão percorrer, porque a área rural é mais complexa, principalmente para quem não conhece a região”, disse o coordenador.
Nesta sexta-feira, o IBGE realizou reunião com a Polícia Militar que dará todo o suporte de apoio e segurança aos recenseadores e à população.

QUESTIONÁRIOS

O Censo Demográfico do IBGE é uma espécie de radiografia da população brasileira. Ele ajuda a explicar quantos somos, como somos e como vivemos. Mas para que esse Raio-X seja o mais próximo possível da realidade é preciso que os questionários de coleta sejam eficientes. 
De acordo com Elen Adami, que também está na coordenação do censo, nem todos vão responder os mesmos questionários, divididos entre o básico e outro mais detalhado. 
“Não temos o controle qual questionário será aplicado. Quando o recenseador chegar na porta do morador é que ele saberá o questionário a ser aplicado. É automático” explica Elen. 
O básico é mais simples, tem menos perguntas e é o que será aplicado na maior parte da população. O outro questionário que é chamado de amostra é um pouco mais completo, ele tem mais informações, mas é aplicado numa porcentagem menor. Estima-se que a cada 100 questionários, 95, por exemplo, serão básicos, e cinco serão amostra.
O questionário básico vai ajudar a entender quais as características dos que os agentes do IBGE irão visitar e, também, de seus moradores. Essa pesquisa terá 26 perguntas, divididas em 10 blocos. O morador deve levar de cinco a dez minutos para responder a todas as questões. 
Já o questionário de amostra terá 77 perguntas e vai trazer um aprofundamento maior de questões abordadas no questionário básico, como características do domicílio, nível de escolaridade, trabalho e renda, por exemplo. 
A coordenadora Elen Adami diz como a população deve receber o recenseador a partir de segunda-feira.   “Primeiro verificar se o recenseador está devidamente uniformizado com colete, boné, aplicativo e com o DMC (Dispositivo Móvel de Coleta), que é o aparelhinho usado para a coleta de dados, e com o crachá de identificação que estará no bolso do colete. Nesse crachá tem o QR Code, que a pessoa poderá acessar o nome, a identidade e função do recenseador. Qualquer dúvida, entrar em contato com o IBGE (3442-1045)”, reforça.