Geral

Fisioterapeuta de Fernandópolis auxilia lutador do UFC em vitória com repercussão mundial



Fisioterapeuta de Fernandópolis auxilia lutador do UFC em vitória com repercussão mundial

Todo ser humano sonha. Alguns mais, outros menos. Alguns alcançam outros não. E existe uma outra classificação que pode ser enquadrado o fisioterapeuta Lucas Ramos Lopez Andrade de 35 anos, que por outros meios chegou ao seu sonho.

Ele participou da etapa final da preparação de Michel Pereira, o Michel Demolidor, também conhecido como Paraense Voador pelas suas acrobacias durante as lutas. No dia 5 deste mês, o brasileiro venceu o russo Zelim Imadaev e conquistou uma legião de fãs pelo mundo após repercussão de sua luta. Principalmente pelo fato de ter levado um tapa desleal do russo durante a pesagem, e depois, durante a luta, ter dado o troco com um pelo safanão em Imadaev.

As cenas do “troco” repercutiram mundialmente e ganharam ainda mais notoriedade pelo brasileiro ter vencido a luta. Com um grande desempenho físico no octógono, o lutador contou com apoio do fernandopolense Lucas durante intensivo tratamento fisioterápico.

Na foto, o fisioterapeuta Lucas Ramos Lopez Andrade

Atuando no ramo há 13 anos, o fernandopolense é formado pela Fundação Educacional de Fernandópolis e especialista em fisioterapia esportiva e osteopatia. Lucas sempre sonhou em lutar no UFC (Ultimate Figthing Championship), que é a maior competição de MMA (Artes Marciais Mistas) do mundo. Mesmo antes de se formar, já lutava Jiu-Jitsu e acreditava que poderia chegar a competir em alto nível.

No entanto, a paixão pela fisioterapia e o talento lhe mostrou outros caminhos que lhe fizeram ser realizado profissionalmente, mesmo não tendo dado sequência ao antigo sonho. E como a vida é sempre uma caixinha de surpresas, o destino lhe proporcionou a chance de realizar, de outra forma, seu sonho.

Na foto, o lutador Michel Pereira, Demolidor

Há 4 anos ele conheceu o lutador Michel Pereira, que estava treinando em Fernandópolis. Após um entorse no tornozelo, ele foi orientado pelo treinador Alan Sale a procurar o fisioterapeuta Lucas, e daí começou uma amizade.

Anos depois, Michel mais uma vez precisou dos “milagres” do “messias Lucas” e dessa vez num momento crucial de sua carreira: sua última luta prevista em contrato com o UFC, vindo de duas derrotas.

Lucas viajou até os EUA, em Las Vegas para iniciar um tratamento quer duraria apenas uma semana e meia, quando seria a data da luta, vencida no dia 5 deste mês diante do russo Zelim Imadaev.

“Aplicamos vários procedimentos. Como ele compete em alto nível, precisa de sessões de recuperação muscular para manter a alta performance e evitar lesões. No entanto, além disso ele ainda tinha dores de lesões passadas e precisamos cuidar disso”, disse Lucas.

O Paraense Voador foi submetido a vários procedimentos para se currar de lesões no tornozelo, trapézio e na lombar. Fazia até quatro sessões por dia com termografia para avaliar o grau da lesão, crioterapia (imersão no gelo), ventosaterapia, quiropraxia, liberação miofascial global, massoterapia, agulhamento e muita massagem relaxante.

“Não adianta apenas o trabalho do profissional. O atleta tem que ser dedicado. E dedicação nunca faltou ao Michel. Teve dia dele estar na fisio às 5h. E até fazer duas sessões. Para evitar as dores no tornozelo ele cogitou por bandagem, mas garanti a ele que até a luta ele não teria dor alguma, e conseguimos cumprir o objetivo”.

Assim, Lucas garante ter realizado de certa forma seu sonho. “Venho do mundo da luta. Competia no Jiu-jitsu. Sempre foi um sonho ser atleta. A vitória dele e minha contribuição foi uma forma de mostrar que podemos chegar ao nosso sonho por outros meios. No meu caso foi como fisioterapeuta, ajudando ele estar 100% numa luta com repercussão mundial.  Quando o árbitro levantou o braço dele eu senti que a vitória era minha também. Coroou todo meu trabalho e noites sem dormir que passei estudando”, afirmou o fisioterapeuta.