Educação

Governo lança aulas por TV aberta e celular para estudantes da rede estadual



Governo lança aulas por TV aberta e celular para estudantes da rede estadual
Marcone Macedo

Desde a suspensão das aulas no dia 23 de março como medida de controle à propagação do coronavírus, pais, alunos e professores tem buscado respostas sobre o futuro do ano letivo dos estudantes da rede estadual de ensino. Preocupação essa também dividida pelo Governo do Estado de São Paulo que, como alternativa, lançou na tarde desta sexta-feira, 3, o Centro de Mídia SP em parceria com operadoras de telefonia e TV Cultura para transmitir aulas pela TV aberta e celulares.

A plataforma vai permitir que os estudantes da rede estadual tenham acesso gratuitamente a aulas ao vivo, videoaulas e outros conteúdos pedagógicos durante o período do isolamento social provocado pelo combate à COVID-19. Na TV aberta, as aulas serão transumidas pela TV Cultura por meio do Canal digital 2.3 – TV Cultura Educação. O Centro de Mídias SP terá parceria com operadoras de telefonia para garantir que alunos mais vulneráveis tenham aulas sem custo de internet. O custo com internet para acesso gratuito no aplicativo está sendo patrocinado pela SEDUC – Secretaria de Educação.

“O Centro de Mídias SP, por meio de plataforma digital e da TV Cultura, vai permitir que os 3,5 milhões de alunos da rede pública tenham acesso ao ensino de qualidade com professores e especialistas da Secretaria da Educação”, disse Doria.

O aplicativo está disponível para os sistemas Android e IOS. Para ter acesso, estudantes e professores da rede estadual terão de fazer o login com os mesmos dados usados na Secretaria Escolar Digital (SED). A empresa Amazon Web Services (AWS) vai disponibilizar, sem custo, a infraestrutura de servidores e redes para garantir a transmissão das aulas.

Como a Seduc antecipou o período de férias e recesso escolar, as aulas contarão como dias letivos recomeçam no dia 22 de abril. A aula inaugural terá “robótica” como disciplina e acontecerá na segunda-feira (6) com a professora Débora Garofalo, eleita uma das dez melhores professoras do mundo em 2019.