Geral

Manifestação em Fernandópolis reúne 1,5 mil e termina defronte casa de deputado



Manifestação em Fernandópolis reúne 1,5 mil e termina defronte casa de deputado

Cerca de 1,5 mil pessoas, segundo estimativa da Polícia Militar e dos organizadores, participaram do ato de protesto e passeata na manhã desta sexta-feira, 28, em Fernandópolis. A passeata percorreu o centro da cidade e terminou defronte a casa do deputado federal Fausto Pinato (PP) no Parque Universitário. Os manifestantes cobravam do deputado voto contra a reforma da previdência. Pinato já votou a favor da reforma trabalhista e se manifestou a favor da reforma da previdência. 
A manifestação em Fernandópolis reuniu diversos sindicatos e paralisou duas categorias: professores da rede estadual e da rede municipal. Cerca de 15 mil alunos, segundo os organizadores, ficaram sem aulas. Pela primeira vez, a rede municipal paralisou aulas, apesar do prefeito André Pessuto ter anunciado em nota que descontaria o ponto dos grevistas. 
“Respeitamos e entendemos como válido qualquer tipo de manifestação, porém, o munícipe não pode ser prejudicado em seus atendimentos, sejam nas escolas, unidades de saúde entre outros serviços. Os servidores que não comparecerem ao trabalho nesta sexta-feira, 28, sem justificativa, terá (sic) as faltas computadas normalmente”, dizia a nota da prefeitura.
A manifestação, batizada de ‘Greve Geral’, foi organizada por sindicatos e entidades de classe em todo país contra a reforma da previdência enviada pelo Governo Federal ao Congresso e a reforma Trabalhista já aprovada na Câmara dos Deputados e enviada para o Senado Federal.
A concentração na praça começou por volta das 9h. Gritando palavras de ordem os manifestantes saíram pelas ruas do centro em passeata, carregando um caixão de defunto simbolizando o destino dos trabalhadores que, com a reforma proposta pelo governo, vão morrer sem se aposentar.
 “Estamos retrocedendo no tempo retirando direitos dos trabalhadores conquistados com muita luta”, disse o representante do sindicato dos professores da rede estadual (Apeoesp) Wilson Frazão.
 Durante a passeata os manifestantes fizeram panfletagem na área central explicando os motivos da manifestação. Comerciantes baixaram as portas em apoio ao movimento. Faixas cobravam o deputado Fausto Pinato para votar com os trabalhadores. “Bancada não elege deputado, quem elege deputado é o povo”, afirmou Frazão.
Depois de percorrer o centro da cidade os manifestantes seguiram até a casa do deputado Fausto Pinato no Parque Universitário onde encerraram o ato de protesto. 
A manifestação em Fernandópolis teve o apoio dos Sindicatos dos Servidores Públicos Municipais de Fernandópolis, Centro do Professorado Paulista,  Afuse, Sincomerciários, Apeoesp, Sindicato dos Químicos, Sindicato dos Empregados Rurais, MST, Correios, Igrejas Católica e Evangélica.
A Polícia Militar não registrou nenhum incidente durante as manifestações em Fernandópolis que terminaram pouco depois das 11h.