Educação

Medicina antecipa colação de grau de 75 novos médicos



Medicina antecipa colação de grau de 75 novos médicos
Da esq. a dir: Silvana Márcia Ximenes, diretora do campus, aluna Victoria Tamarozzi, 24 anos, de Urupês-SP, Dr. Armando José Gabriel, coordenador do curso de Medicina da Universidade Brasil, e Felipe Sigollo, reitor da UB.

A Universidade Brasil, Campus de Fernandópolis, antecipou a colação de grau de 75 estudantes de Medicina. A formatura foi antecipada embasada na lei 14.040 e uma resolução do CNE – Conselho Nacional de Educação que dispõe sobre a antecipação da colação de grau dos alunos da saúde como ação de combate à pandemia.

A medida tem como objetivo formar profissionais para ajudar a região no combate ao novo coronavírus. A cerimônia, está sendo realizada nesta quinta-feira, 8, e teve início às 10h, no campus da instituição.

“A Universidade Brasil cumpre hoje a sua função social, com seu propósito de ensino, pesquisa e extensão, de proporcionar a colação de grau, a formação de novos médicos que, com certeza ajudarão muito no combate a pandemia na região e em qualquer lugar que eles estiverem”, destacou o reitor da Universidade Brasil, Felipe Sigollo.

Aluna Geovanna Pissinati, 26, de Iporã - PR

Para reitor Felipe Sigollo, a pandemia do novo coronavírus se estendeu por um período maior do que o esperado e que a situação ainda é muito complicada.

“Assumi a reitoria há seis meses, então peguei todo esse período da pandemia. Mas, tenho certeza de que esses 75 novos irão contribuir muito para a gente poder ajudar na saúde pública, fortalecer o SUS – Sistema Único de Saúde – eles têm uma excelente preparação e estou confiante de que a gente possa dar essa contribuição”, disse Sigollo.

Durante a cerimônia, todos os protocolos de vigilância foram devidamente seguidos pela instituição para evitar contaminação pelo Sars-CoV-2, vírus responsável pela Covid-19. Pais, alunos e profissionais da universidade não esconderam a alegria proporcionada pela meta alcançada por todos, sobretudo, pelos estudantes que deixam a Universidade Brasil para exercerem uma das profissões essenciais como a Medicina em tempos de pandemia.