Geral

Moradores reclamam e prefeitura aperta cerco contra terrenos baldios



Moradores reclamam e prefeitura aperta  cerco contra terrenos baldios

De todos os bairros da cidade, reclamações chegam a Ouvidoria cobrando providências para a limpeza de terrenos baldios, com mato alto, favorecendo proliferação de animais peçonhentos, entre eles, o escorpião e, claro, o mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue que já contaminou mais de 700 fernandopolenses este ano.
O fim da temporada de chuvas que é o limite da paciência de quem tem um terreno baldio como vizinho, fez aumentar o número de reclamações na ouvidoria contra terrenos sujos e abandonados. Mesmo em meio a pandemia do coronavírus, o setor de fiscalização da prefeitura saiu a campo em operação para notificar os donos desses lotes. Na primeira leva, foram emitidas 500 notificações coletivas ordenando a limpeza. A notificação chega pelo correio e também pelo Diário Oficial Eletrônico. 
O prazo de limpeza, a partir da notificação é de 15 dias, sujeito a multa. 
Aliás, o Diário Oficial Eletrônico publicou esta semana edital de notificação com 31 proprietários de lotes que foram multados pela prefeitura por não limparem lotes localizados em diferentes bairros da cidade. 
De acordo com levantamento da prefeitura, nos últimos 10 anos, a cidade ganhou 112 novos loteamentos que colocaram no mercado 7,2 mil lotes, a maioria na zona norte da cidade, exatamente de onde partem as maiores reclamações e autuações. A prefeitura notificou donos de lotes nos bairros Mais Parque, Jardim Vitória e Maria Tereza. Na zona sul, mais povoado, ainda assim foram notificados lotes nos bairros. Universitário, Santo Afonso, Santa Filomena, Antônia Franco e Mário Benez
“A intenção da Prefeitura é manter a cidade limpa e evitar a proliferação de insetos, animais peçonhentos e também do mosquito Aedes Aegypti (transmissor da dengue, zika e Chikungunya). Não desejamos que ninguém seja multado, mas quem não cumprir a ordem de limpeza, receberá as penalidades constantes no código de posturas do município”, explicou o Ouvidor Municipal, Edmar de Oliveira.

O número elevado de empreendimentos imobiliários lançados em Fernandópolis nos últimos 10 anos, fez aumentar os vazios urbanos. Estima-se que a cidade tenha hoje cerca de 20 mil lotes. Esse número pode aumentar porque tem pelo menos outros quatro projetos em andamento na prefeitura para lançamento de mais 2 mil lotes em quatro projetos imobiliários, o maior deles, o empreendimento Boa Sorte com 726 lotes margeando a Avenida Augusto Cavalin entre a Avenida Valério Angeluci e Expo.