Polícia

Operação Strike prende seis em Fernandópolis



Operação Strike prende seis em Fernandópolis
A Operação Strike realizada das 6h às 17h, pela Polícia Civil do Estado de São Paulo, nesta quinta-feira, resultou em 2.532 pessoas detidas. Foram apreendidos 160 menores de idade que serão encaminhados à Fundação Casa (antiga Febem) e outros 1.105 procurados pela Justiça.

Em Fernandópolis houve seis prisões, entre elas, um menor. Houve também a apreensão de drogas e de uma arma. Um foragido da Justiça da Paraíba foi capturado na cidade.

O balanço divulgado consta que 1.267 pessoas foram presas durante a ação, porém, como cometeram crimes de menor potencial ofensivo, grande parte do total poderá ser liberada com o pagamento de fiança. Os outros 1.105 detidos permanecerão presos, pois eram pessoas que haviam fugido de cadeias ou já eram alvos de mandados já expedidos e não cumpridos até hoje. Segundo o secretário Estadual de Segurança Pública, Ronaldo Marzagão, ao menos três são policiais militares.

Na operação foram apreendidos ainda 1.205 carros. Um deles, uma Van, foi apreendida em Bauru. Ela pertence a um detetive particular de São Paulo que fazia parte de grupo de detetives que exercia a atividade de forma ilegal e quebrava sigilos telefônicos e bancários. Ela estava equipada com modernos aparelhos para realizar escutas.

A investigação deste caso teve início em janeiro. No total eram 15 os mandados expedidos contra esses “arapongas”, mas um deles não foi localizado e apenas 14 foram presos. O veículo será enviado para São Paulo para passar por perícia.

As investigações mostraram que o grupo fazia, inicialmente, investigações particulares em casos de matrimônio, e, com o passar do tempo, passou a realizar espionagem industrial. Entre os presos está um gerente de uma agência do banco Sudameris no interior, que contribuía com o grupo. Computadores foram apreendidos e seu conteúdo será avaliado.

A operação Strike resultou ainda na apreensão de 2.967 máquinas de vídeo-pôquer e caça-níqueis, além de 11 bingos fechados. Outros 124 estabelecimentos comerciais foram interditados e lacrados. Desse total, 25 eram hotéis do interior que exploravam a prostituição infantil.

Os homens cumpriram ainda outros 1.736 mandados de busca e apreensão. Foram apreendidos 519.635 objetos e 53.401 pessoas foram abordadas.

Ao todo 180 armas foram apreendidas, em sua maioria pistolas e revólveres. Outros 106,06 kg de drogas foram apreendidos, segundo o balanço das 11 horas de operação.