Meio Ambiente

Produtor rural denuncia poluição em córrego: água escura e com mau cheiro



Produtor rural denuncia poluição em córrego: água escura e com mau cheiro

Desde a última chuvarada que atingiu Fernandópolis em abril, moradores da zona rural banhados pelo córrego Gatãozinho começaram a perceber que a água estava escura e com forte mau cheiro e que os animais se recusavam a beber. 

Acreditavam que o problema seria passageiro, por causa das chuvas e que logo o córrego voltaria a ficar cristalino como antes. Mas, a poluição persiste passados mais de 20 dias. Foi então, que após ter comunicado o problema à Secretaria do Meio Ambiente do Município e à Cetesb e nada ter sido feito, que o produtor rural Laércio Vidali procurou a Rádio Difusora FM nesta sexta-feira, 17, para fazer a denúncia da poluição no córrego.

“Eu e os vizinhos percebemos que os animais não estavam mais bebendo a água do córrego, que era limpo, sem poluição. Agora há questão de 20 dias, logo depois da chuva, a água ficou assim, escura e com esse odor”, explicou. Com o córrego poluído, o produtor tem se socorrido da água de poço para os animais.

O córrego Gatãozinho nasce na zona leste da cidade, atrás do bairro Vila Veneto. Ele tem extensão de cerca de 7 km e desagua no Gatão. Isso significa que a poluição está sendo levada para outros córregos da bacia hidrográfica podendo causar grande impacto ambiental.

Diante da suspeita de vazamento de esgoto, a Sabesp, após ser questionada pela emissora, iniciou investigação na região para verificar se há problema de vazamento na rede, já que há vários bairros à montante da nascente. Por enquanto, o problema segue sem solução. Assim que houver informação, a matéria será atualizada.

Produtor Laércio Vidali denunciou a poluição no córrego Gatãozinho

Trechos do córrego com água escura e com mau cheiro