Saúde

Retorno do vírus tipo 3 da dengue põe a região em alerta



Retorno do vírus tipo 3 da dengue põe a região em alerta

O vírus tipo 3, considerado o mais grave da dengue, volta a circular e põe a região noroeste em estado de alerta diante do risco iminente de epidemia. O vírus não circulava na região há 15 anos.

Quatro casos a dengue tipo 3 foram confirmados nesta quarta-feira, 21, na cidade de Votuporanga. Os casos foram constatados em mulheres, incluindo uma criança de cinco anos.

Chamado de Denv-3, o sorotipo tipo 3 é associado com manifestações graves da doença. No primeiro caso detectado em Votuporanga em uma mulher, de 34 anos, no dia 1º de novembro, chamou a atenção a intensidade dos sintomas clássicos da doença, como febre, vômito, dor e manchas vermelhos pelo corpo, além do sangramento pela urina e pelo nariz.

De acordo com o pesquisador e professor da Famerp Mauricio Lacerda Nogueira, ouvido pelo jornal Diário da Região, o retorno do vírus tipo 3 após 15 anos, é um alerta para o risco de epidemia.

Em Votuporanga, a secretaria de Saúde desenvolve ações de bloqueio, mas encontra problemas diante da recusa das pessoas em permitir a entrada dos agentes. A cidade diz que há outros sete casos suspeitos de dengue pelo tipo 3. Os casos foram registrados em bairros da região sul da cidade. Além das ações de bloqueio, Votuporanga iniciou arrastões de eliminação dos criadouros desde a semana passada.

A secretaria estadual de Saúde diz que monitora os casos e que vai debater novas medidas de combate no dia 27, quando realiza reunião em São Paulo para discussão do novo cenário epidemiológico no estado e uso de novas tecnologias de combate a arboviroses, que são doenças causadas por vírus transmitidos por mosquitos.

De acordo com a Fiocruz, no Brasil circulam os vírus tipos 1, 2, 3 e 4 da dengue. O risco de epidemia com o tipo 3 decorre da baixa imunidade da população já que esse tipo não circula na região há 15 anos.