Geral

Universitários aquecem economia local



Os setores gastronômico e imobiliário são dos mais procurados pelos jovens que vêm estudar em Fernandópolis

A volta e a chegada de novos universitários esquentam o comércio local da cidade durante todo o ano letivo. As repúblicas montadas por estudantes giram a economia do mercado imobiliário e o de mobílias.
“Em relação a janeiro passado, as vendas subiram 24%. Os produtos mais procurados são eletrodomésticos, móveis e portáteis [liquidificador, panelas, entre outros]”, disse o gerente das Casas Bahia, Rubens Aparecido de Jesus. Para atrair os estudantes, a empresa trabalha com todos os tipos de cartão de crédito e propõe entrega imediata dos produtos adquiridos. A vendas de janeiro são 30% maiores do as dos outros meses.
“O aumento de moradores [cerca de 10 mil estudantes] faz com que a economia cresça, principalmente nos setores imobiliário e gastronômico”, avaliou o presidente da Associação Comercial e Industrial de Fernandópolis, Carlos Sugui.
Na época do boom universitário, a cidade tinha dificuldades em atender às necessidades dos novos moradores. “Atualmente o comércio supre os desejos de mercado do público jovem”, completou Sugui.
Um dos problemas enfrentados pelos universitários era encontrar roupas de grife no mercado local. Hoje, em Fernandópolis há dezenas de lojas que oferecem as mais diversas etiquetas da indústria têxtil. “O índice de vendas é um pouco mais alto no período de aulas, cerca de 10%, os estudantes gastam bastante, principalmente os que estudam no Shopping”, afirmou a funcionária da Buzzword, Fabiana Maria da Silva. Os números foram comparados com os meses do final de ano, em que há o 13º salário e o período de festas.