BASTIDORES

BASTIDORES



A CONTA....
da gestão paquidérmica do processo de extinção da Frente de Trabalho chegou para o prefeito André Pessuto no pior momento, em meio aos festejos do aniversário de Fernandópolis. Em vez de estar “maquiando” a cidade para festa, como manda a tradição, a equipe do prefeito andou batendo cabeça em meio à crise do matagal que se transformou a cidade.
PESSUTO...
assinou em 27 de setembro de 2021 o TAC – Termo de Ajustamento de Conduta – com o Ministério Público do Trabalho para pôr fim à Frente de Trabalho. Um ano, sete meses e oito dias depois de não poder contar mais com a mão de obra barata da Frente de Trabalho, a prefeitura ainda sofre para movimentar a pesada máquina pública.
A PARTIR...
de uma sucessão de equívocos formou-se a tempestade perfeita para o colapso da mão de obra alimentada pela morosidade e ineficiência da burocracia pública. Após a fracassada tentativa de repor a força de trabalho via processo seletivo a prefeitura recorreu à terceirização milionária, enquanto tocava a reforma administrativa. 
POSTA...
à prova, a terceirização deu pra trás por um detalhe: faltou planejamento. O cronograma de limpeza da cidade não andou e a grita nas redes sociais bateu forte no gabinete do Paço. A prefeitura não estava conseguindo fazer o que o “seo” Noel, um aposentado de 70 anos, estava fazendo sozinho com sua roçadeira: limpar a cidade para que ela fique bonita. 
QUANDO...
o programa Rotativa no Ar da Rádio Difusora de terça-feira foi às ruas conferir o cronograma divulgado pela prefeitura, constatou-se o óbvio. No ritmo que estava caminhando a tal operação limpeza, com equipes divididas, a cidade passaria o aniversário no meio do mato. Onde estão os vereadores?, cobrou a jornalista Giovanna Simioli. 
A COBRANÇA...
foi parar no grupo de WhatsApp dos vereadores que fizeram fila na tribuna na sessão de terça-feira e despejaram uma saraivada de críticas ao Executivo. O diagnóstico do vereador Murilo Jacob apontou que, empenhado em grandes obras de infraestrutura pela cidade, o que é bom,  o Executivo esqueceu de fazer o simples, de dar atenção ao detalhe que é o que faz a diferença. 
UM...
dia depois da grita, o comando da limpeza voltou para as mãos do Marquinhos do Almoxarifado. Depois da fase “barata-voa” da administração, ele organizou o mutirão (o simples) e a faxina da cidade começou andar. Agora é esperar pelas inaugurações de maio. Aliás, o prefeito postou e apagou de suas redes sociais a primeira versão da programação. A segunda versão foi divulgada ontem no final da tarde.

Equipe A.C.G