BASTIDORES

BASTIDORES - A história da represa municipal



DE...
Alvizi a Pessuto, a história da represa municipal descortina-se sobre um cenário que tem provocado sentimentos os mais diversos. Do nascedouro no início da década de 70 aos dias de hoje, o manancial sempre ensejou na população a esperança de que o poder público realizasse ali uma grande área de lazer.
A REPRESA...
que brotou em razão do aterro construído para possibilitar a ligação cidade/Expo, na Avenida Augusto Cavalin, no governo de Leonildo Alvizi (1969-1972), nunca recebeu das administrações ao longo dos anos, um olhar de atenção que fosse ao encontro dos sonhos fernandopolenses.
À MEDIDA...
que os anos foram passando, a generosidade da prefeitura deu preferência aos pedidos de cessão de áreas para clubes e entidades nas proximidades, enquanto o aproveitamento da represa para construção de uma estrutura de lazer foi ficando relegada a segundo plano. A alegação?  A de sempre: falta de recursos.
NADA...
contra a doação de áreas. O erro, porém, foi o exagero com que isso ocorreu. Certa vez, quando um prefeito acordou e mandou fazer um projeto que ligaria o Beira-Rio a represa, foi surpreendido com a informação de seu arquiteto de que não havia mais terreno disponível.
DOS...
maus tratos que a represa recebeu, um dos mais graves se deu em 2015, quando alguém, em ato no mínimo impensado, destruiu a comporta de concreto que controla a vazão e com isso grande parte da água se perdeu, pondo em risco a vida dos peixes. Sim, havia peixes ali para alegria de pescadores amadores.
TAMBÉM...
faz parte da história o banho que o prefeito Antenor Ferrari (1973-1976) tomou de uma ducha de grosso calibre alimentada por uma mangueira instalada no alto do reservatório do bairro Santo Helena. Era água que chegava da represa, cuja rede fora instalada em regime de urgência pela Sabesp para socorrer crise de abastecimento que a cidade enfrentava.
E A
história segue. O prefeito André Pessuto (2017-2020) valendo-se de recursos oriundos do Fundo Municipal do  Meio Ambiente -  R$ 611 mil - vai contratar  máquinas e caminhões para desassorear a represa, com retirada prevista de 40 mil metros cúbicos de material sedimentar de área seca. O pregão será na quarta-feira.
DOS...
50 mil metros quadrados de área alagada restam agora 15 mil. Que a atual administração tenha tempo para resgatar as belezas naturais da represa, recuperando áreas de preservação permanente a montante, e também plante as 20 mil árvores que se anuncia. Seria a pavimentação para um grande projeto de lazer, prática de esportes náuticos e estrutura para abrigar grandes eventos. Sonhar não custa nada.

 

Alencar Cesar Scandiuzi