Direto da Redação

Direto da Redação: População ignora audiência pública do orçamento



Direto da Redação: População ignora audiência pública do orçamento

A audiência pública para discussão do orçamento do município para 2024 ocorreu na quarta-feira, início da noite, no Palácio 22 de Maio Prefeito Edison Rolim, sem público, como aliás tem sido a maioria desses eventos. A discussão do orçamento de R$ 421 milhões referente ao último ano do mandato do prefeito André Pessuto foi ignorada pela população e até pela maioria dos vereadores. Presentes os membros da comissão de Finanças e Orçamento João Garcia Filho, Murilo Jacob e Jeferson Leandro de Paiva. Na plateia, o presidente da Câmara João Pedro Siqueira e servidores do legislativo.

Quem esteve na sede do legislativo para falar do orçamento foi o contador da prefeitura Guilherme Sentinelo que reclamou do desinteresse pelo assunto. “É um assunto tão importante para o qual não se dá a devida importância, nem da população, nem dos próprios vereadores”, frisou. O desinteresse, relatou Guilherme, começa antes nas audiências para elaboração da LDO –Lei de Diretrizes Orçamentárias – e do orçamento ainda no âmbito do Executivo quanto se pode discutir propostas.

O contador relatou na audiência que a opção foi por um orçamento enxuto diante do cenário incerto das receitas. A receita consolidada até outubro deu mostras da instabilidade, com crescimento de 1,96%. “Ficamos praticamente no zero a zero, principalmente quando olhamos para o crescimento de 22% na receita em 2022”, citou.

Alertou os vereadores que neste momento do trâmite do orçamento, não podem alterar o valor, podem propor remanejamento de recurso, indicando de onde sai e para onde vai.

Perguntado pelo presidente da Câmara João Pedro Siqueira sobre onde seria mais viável cortar despesas diante da queda de receitas, Sentinelo não fugiu da resposta: comissionados e nos contratos de terceirizadas. Ao justificar a pergunta, o presidente considerou inócua a medida da prefeitura em reduzir o expediente para economizar com evidente prejuízo para o atendimento da população. O projeto do orçamento deve ser votado nas duas próximas sessões, antes do encerramento do ano legislativo.

Bate pronto

  MAIS UM - Os vereadores derrubaram mais um veto do prefeito André Pessuto a projeto de iniciativa do Legislativo. Recentemente, a Câmara derrubou o veto ao projeto que criou o “Imposto Verde” do vereador Murilo Jacob. Agora o veto derrubado é sobre o projeto que regulamenta a colocação de placas informativas em todas as obras públicas no município de Fernandópolis de autoria do Cabo Santos. Já está virando goleada.

  HOMENAGEM - Foram prestadas duas homenagens na última sessão da Câmara. Primeiro, a outorga do título Atirador Padrão 2023 do Tiro de Guerra para Vinicius Roberto Santana. Depois a aprovação e entrega da Moção de Aplausos indicada pelo vereador Julinho Barbeiro para o professor Carlos Eduardo Maia de Oliveira pelo trabalho que desenvolve na pesquisa de fosseis de animais pré-históricos que habitaram nossa região há 90 milhões de anos.

  HOMENAGEM II - Também foi aprovado o projeto de autoria dos vereadores João Pedro da Silva Siqueira e João Luiz Garcia Gomes Filho, dispõe sobre outorga de Título de Cidadão Fernandopolense ao empresário Ireno Bim do "Ferro Velho São Paulo” que está em Fernandópolis desde 1950.

 

 

FOTO DA SEMANA

FOTO DA SEMANA

Fernandópolis ganhou no último final de semana o Mirante do Paredão, um local de contemplação do pôr-do-sol e da natureza. Foto divulgada pela Secom – Secretaria de Comunicação – explica o nome, uma referência ao paredão de concreto construído pela Rumo Logística para conter a encosta do barranco, na duplicação do trecho da ferrovia na chegada da Ferrovia Norte-Sul que se une a malha paulista poucos quilômetros dali. O local do mirante era o antigo lixão da cidade que foi recuperado ambientalmente e devolvido à população. Uma boa dica de programa de final de tarde em Fernandópolis.

Positivo

A Câmara aprovou na sessão de terça-feira projeto do Executivo para a criação do Fundo Municipal de Proteção de Interesse Difusos Lesados no âmbito do município de Fernandópolis. O projeto tem a mão do Ministério Público, através da promotora Laila Pagliuso que entendeu que os recursos provenientes de multas aplicadas, seja por crime ambiental, maus tratos a animais, etc, devem permanecer na cidade exatamente para ser investido no reparo do dano causado. Antes, o recurso dessas multas ia para o fundo estadual e a cidade ficava no prejuízo.

Negativo

Como era previsível, a dengue tipo 3 começa a se espalhar pela região. Os primeiros casos foram registrados em Votuporanga no final de novembro e agora é Rio Preto confirma o primeiro caso. Como o vírus da dengue tipo 3 não circula na região há 15 anos, a população não tem imunidade o que amplia o potencial de uma epidemia de âmbito regional. Fernandópolis ainda não registrou nenhum caso e precisa ficar atenta para não repetir as duas grandes epidemias de 2019 e 2021. A população precisa fazer a sua parte eliminando focos do mosquito em casa.

Claudemir Cabreira

Jornalista.