Direto da Redação

Saúde diz já ter plano para a chegada do coronavírus



O médico infectologista do Cadip – Centro de Atendimento a Doenças Infectocontagiosas – Márcio Gaggini revelou nesta sexta-feira, 28, que Fernandópolis já tem um Plano de Ação para a chegada do coronavírus. Esse plano já foi acionado na Santa Casa e já está sendo montado planejamento para garantir o fluxo de atendimento nas UBSs com ações para evitar a propagação do vírus. 
“O que é importante dizer neste momento, é que a população não precisa entrar em pânico, se desesperar por causa disso. O coronavírus é uma doença que a letalidade não é mais grave em relação a outras doenças virais respiratórias que já circulam em meio à população”, alertou o médico.
Gaggini lembrou que esse plano foi acionado na pandemia da gripe influenza em 2009 e a conjuntivite em 2012. “Estamos preparados”, garantiu. O médico considerou preocupante o fato da região estar com epidemia de dengue, cujos sintomas podem complicar eventual diagnóstico de coronavírus. Isso ocorreu no surto de sarampo em Fernandópolis no ano passado. O médico considerou ainda importante a antecipação da vacinação contra a gripe influenza, cujos sintomas também são parecidos com o do coronavírus. 
Os sintomas do COVID-19, nome dado ao coronavírus, são febre, dificuldade para respirar, tosse ou coriza. É preciso observar outros aspectos epidemiológicos, como histórico de viagem em área com circulação do vírus ou mesmo contato próximo a algum caso suspeito ou confirmado laboratorialmente para a doença.
Na região, três casos suspeitos de coronavírus estão sendo monitorados nas cidades de São José do Rio Preto, Nhandeara e Barretos. O Hospital de Base de Rio Preto foi referenciado pelo governo do estado para tratar casos graves de coronavírus na região.

Bate pronto

  RECEITA MENOR - O governo do Estado de São Paulo transferiu R$ 1,18 bilhão em repasses de ICMS para os 645 municípios paulistas na última semana de fevereiro. O depósito feito pela Secretaria da Fazenda e Planejamento é referente ao montante arrecadado no período de 17 a 21 de fevereiro.  Os valores correspondem a 25% da arrecadação do imposto, que são distribuídos às administrações municipais com base na aplicação do Índice de Participação dos Municípios (IPM) definido para cada cidade. A parte de Fernandópolis na divisão do bolo do ICMS entre janeiro e fevereiro foi de R$ 4,9 milhões, R$ 47 mil a menos do que o valor repassado em janeiro e fevereiro de 2019. 

  RECEITA MAIOR - Já com o IPVA – Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores - a prefeitura de Fernandópolis recebeu os 50% de sua cota referente aos pagamentos efetuados no mês de janeiro e contabilizou aumento do repasse este ano. O total depositado na conta da Prefeitura chegou a 5,9 milhões, valor R$ 500 mil a mais do que o recebido em janeiro de 2019. A Prefeitura ainda tem repasse de fevereiro e de março. Se mantiver a tendência de fevereiro, a receita com esse imposto no primeiro trimestre deve ultrapassar os R$ 11 milhões. 

  REGIONALIZAÇÃO -  O Tribunal de Contas do Estado abre no dia 12 de março em Presidente Prudente o calendário do Ciclo de Debates que reunirá Prefeitos, Vereadores, lideranças políticas, Secretários Municipais, gestores e servidores públicos de 59 municípios. O evento que acontece há 24 anos este ano ganhou uma nova formatação. Em vez de acontecer nas cidades sedes de Unidades, o Tribunal de Contas decidiu regionalizar os encontros. Assim, o Ciclo de Debates na região noroeste será no dia 14 de maio em Rio Preto e vai reunir 151 municípios das URs de Fernandópolis, Rio Preto, Araçatuba e Andradina.

Claudemir Cabreira

Jornalista.